Participamos do Programa de Associados da Amazon, um serviço de intermediação entre a Amazon e os clientes, que remunera a inclusão de links para o site da Amazon e os sites afiliados.

Kindle Oasis eleva a experiência dos e-readers. Edição mais avançada do Kindle, o dispositivo não somente repete a receita de sucesso da Amazon ao agregar itens como a tela e-ink monocromática, interface simples e um acervo gigantesco, como também traz melhorias no design e no display para tornar a leitura mais prazerosa e confortável, possui recurso que ajusta a temperatura de cor do display para dar um descanso aos olhos.

De cara, pode-se dizer que o dispositivo chama a atenção pelo design confortável, bom desempenho e bateria de longa duração, mas peca em relação ao preço alto.

Tela e design


A tela grande é um dos principais diferenciais do Kindle Oasis, já que o e-reader possui 7 polegadas contra 6 polegadas do Kindle Paperwhite. O aumento é muito bem-vindo, especialmente na hora de digitar, pois há um espaçamento maior entre as teclas e evita toques indesejados. Sem dúvidas, o conforto no uso e na hora da leitura é garantido.

A iluminação também ganha reforços com a edição mais cara do leitor de livros da Amazon. São 25 LEDs ao redor da tela com sensor de luz adaptável, que ajusta o brilho de acordo com o ambiente. Dessa forma, o Kindle Oasis traz uma luminosidade mais natural e não deixa nada a desejar quando comparado com celulares e tablets nesse quesito.

Um dos destaques da nova geração é a possibilidade de alterar a temperatura da iluminação da tela. O recurso pode ser ativado automaticamente, assim como acontece com o nível de iluminação, seja por meio de um horário pré-definido ou quando o sol se põe. A segunda opção, no entanto, requer conexão com a internet integralmente para que funcione.

Segundo a Amazon, a função age como um aliado aos olhos, já que tende a aliviar o cansaço durante a leitura. 

Diferentemente dos demais modelos, o Kindle Oasis conta com uma protuberância na traseira para melhorar a pegada do dispositivo. Trata-se de uma característica muito bem pensada, pois o leitor se encaixa perfeitamente nas mãos e dá bastante sensação de segurança durante o uso, principalmente quando se está em pé no ônibus ou metrô.

Na parte frontal, há uma borda mais espessa em uma das laterais, justamente para posicionar as mãos em auxílio ao relevo da traseira. O espaço ainda agrega dois botões dispostos na vertical para passar ou voltar uma página, e evita que você fique refém apenas do touch.

Outro recurso interessante do e-reader é que a tela gira como celulares e tablets. E funciona como mágica: quer segurar o Kindle com a outra mão? Vire o dispositivo e o display irá se adaptar no mesmo instante. O mesmo pode ser dito aos botões laterais para passar páginas, que já são reconfigurados automaticamente para a nova posição após o gesto.

De resto, temos uma traseira de metal – que fica bem gelada em dias frios, por sinal. O dispositivo também conta com certificação IPX8, o que, em tese, determina resistência à água.

O Kindle Oasis está disponível na cor grafite.

Desempenho

O Kindle Oasis é rápido em qualquer ação. Seja para ligar ou para abrir um livro, tudo acontece sem demora. No entanto, deve-se levar em consideração o fato de que não se trata de um desempenho similar ao de um celular, uma vez que a tela e-ink requer um pouco mais de tempo para atualizar as informações dispostas nela.

A mesma velocidade é vista durante a sincronização ou download de conteúdos. É claro que a qualidade da conexão de internet impacta diretamente neste resultado, porém, mesmo em redes mais lentas, quase todas as funções foram executadas sem engasgos. O acesso à loja virtual da Amazon também é ágil e prático, assim como em outras edições do leitor.

Bateria

A bateria é uma das principais promessas de qualquer edição do Kindle. A Amazon não informa a potência do componente em mAh, mas vende o dispositivo com a proposta de passar semanas longe das tomadas. Pois bem, o compromisso não é em vão.

O Kindle Oasis passou facilmente de uma semana longe das tomadas com uso médio entre 40 minutos e 1h30 por sete dias e 2h30 durante dois dias. Ao longo do período, o dispositivo foi utilizado para leitura com o sensor de iluminação ativo, brilho entre médio e forte, quase sempre conectado a redes Wi-Fi e temperatura de tela ativa entre 20h e 6h pela metade.

Recursos extras

Se você gosta de marcar páginas, sublinhar e até mesmo deixar anotações no livro, saiba que estes hábitos não serão deixados de lado com o Kindle Oasis. Claro que é uma proposta diferente, mas, sem dificuldade alguma, é possível destacar trechos de textos ao tocar e segurar sobre uma palavra e arrastar os dedos para marcar a passagem desejada. Depois, é só apertar em “Destaque” ou “Nota”, e pronto.

Conclusão

A Amazon vem caprichando com os seus e-readers. Sucesso mundial, a família Kindle não só integra produtos de alta qualidade desde as primeiras gerações como possui, dentro de seu ecossistema, uma loja com acervo extenso e com livros para todos os públicos. Com o passar dos anos, a empresa não perdeu o fôlego e continuou incrementando o produto, e a prova disso é o Kindle Oasis (2019), que se afasta do convencional em vários sentidos.

A começar pelo design, pois é um avanço enorme quando comparado com o Kindle 10 e o Kindle Paperwhite. A tela maior, com iluminação em 25 LEDs, é impecável. E, quando aliada ao corpo do dispositivo, que traz toda a estrutura para tornar a leitura mais confortável, não há o que criticar. Chega a beirar a perfeição.

Demais detalhes também repetem a receita que a Amazon vem explorando há anos com os seus e-readers. O desempenho é ágil e a interface é bem simples de usar. É claro que não se compara à velocidade de um celular, com gráficos de ponta e telas com milhões de cores. De todo modo, atende muito bem o seu objetivo, que é possibilitar a leitura de livros sem cansar a vista e sem estresse.

Em primeiro lugar, deve-se levar em questão a adaptação ao dispositivo, já que ela varia de leitor para leitor. Se você já utiliza dispositivos como KindleKobo, e afins, e tem o hábito de ler em aparelhos eletrônicos, já é meio caminho andando. Agora, caso esteja no outro grupo, talvez seja melhor repensar a questão e optar por opções mais em conta, já que o risco de não se acostumar à troca do papel para a tela é existente.

O segundo ponto a ser discutido é em relação à necessidade. Isto porque em momento algum o Kindle Oasis fez algo que o meu Kindle Paperwhite, que carrego comigo desde 2017, não pudesse fazer. Ou seja, tanto o sistema e interface quanto as funções são as mesmas. O que muda, portanto, é o design e tela, que obviamente trazem mais conforto, mas ainda assim não me deixam à vontade para gastar mais de R$ 1.000 em um Kindle.

se você já tem um Kindle, quer uma experiência melhor e tem muito dinheiro para gastar, o Kindle Oasis (2019) será um ótimo gasto. Agora, se você quer o seu primeiro e-reader ou deseja apenas atualizar o seu para uma versão mais recente, talvez seja melhor melhor apostar num Kindle Paperwhite.